Vereadores participam de discussão sobre segurança nas escolas

por Maria Tereza Bicalho publicado 12/07/2017 14h30, última modificação 31/10/2017 12h26

O presidente da Câmara, Djalma Bastos (PSD), e os vereadores Pastor Carlinhos (PMDB) e Belmar Diniz (PT), participaram na manhã de hoje, 12, da reunião do Conselho Comunitário de Segurança Pública – Setor 1 (Consep). O encontro, que ocorreu no auditório da Associação Comercial e Industrial de João Monlevade (Acimon), teve como pauta o projeto “Rede de Escolas Protegidas”. Diretores e profissionais da educação da cidade,estiveram presentes na reunião, bem como representantes das polícias Militar e Civil. O secretário municipal de Educação, Teotino Damasceno, também participou do encontro. 

Conforme destacado pelo presidente do Consep Setor 1, Saulo Amaral do Nascimento, o projeto surgiu a partir de uma demanda das instituições de ensino, que é de promover cada vez mais e de forma constante a segurança dos profissionais da educação e, em especial, dos alunos. Diante disto, o conselho vem planejando junto à Polícia Militar a efetivação do projeto. “Vamos fazer de forma embrionária nas escolas que estão na região de atuação do Consep 1, mas nada impede que as demais instituições que estejam no campo de atuação dos Conseps 2 e 3 possam também desevolver”, explicou Saulo. O subcomandante da PM, capitão Felipe Castro Gaigher, enfatizou a fala de Saulo. "A Polícia Militar é parceira dos conselhos e das escolas e queremos auxiliar sempre. Estamos à disposição”, declarou o militar. 

Para que o projeto seja executado, três ações específicas irão ocorrer em breve. Uma delas é o agendamento de uma reunião com a Assistência Social do Fórum Milton Campos, para debater, dentre outros assuntos, a questão de infratores cumprirem medidas socioeducativas nas escolas. Esse assunto foi inclusive debatido de forma preocupante pelos profissionais das instituições de ensino. Outro ponto é uma capacitação que será ministrada pelos policiais e também pelo Corpo de Bombeiros Militar, para diretores, professores e servidores das escolas. Esta ação será feita dia 15 de agosto, às 7h30, no auditório do Colégio Kennedy. A terceira ação é disponibilizar para as escolas o contato do policial de turno responsável por determinada área.   

Números do combate à violência

Ainda durante a reunião, o capitão Felipe apresentou números sobre atuação da Polícia Militar. Os dados correspondem ao período de 1º de janeiro a 10 de julho deste ano. Segundo o capitão, neste período foram presas e/ou apreendidas 2.700 pessoas em Monlevade. Sobre furtos, foram registrados 1.121. No mesmo período do ano passado foram registrados 1.289 furtos. Já traficantes, 169 foram presos e 83 armas apreendidas em 2017. No mesmo período de 2016, o número de traficantes presos foi de 98 e de armas apreendidas, 77. O número de crimes violentos na área de atuação da corporação é de 331 em 2017 e 370 em 2016. “Avaliamos os números como positivos e motivadores. Isso se deve não apenas ao trabalho dos militares, mas principalmente à parceria com a comunidade”, justificou o subcomandante. 

Mais uma vez, Djalma Bastos colocou a Câmara Municipal como parceira na promoção da segurança pública. “Este assunto é prioridade. Temos ações concretas, como a emissão de carteiras de identidade na sede do Legislativo e também a coordenação de condenados à prestação de serviços à comunidade por meio do Broto da Vida. A Casa está à disposição para contribuir no que for preciso”, disse.

error while rendering plone.comments