Rota, aumento da passagem e auxiliares de bordo são discutidos em reunião na Câmara Municipal

por Maria Tereza Bicalho publicado 03/07/2017 11h33, última modificação 03/07/2017 11h33

Os vereadores da Câmara de João Monlevade reuniram-se com o proprietário da empresa Enscon Viação, Eduardo Lara, com o gerente Maciel Gomes, e com o chefe do Setor de Trânsito e Transporte (Settran) da Prefeitura, Breno Lima, na manhã desta quarta-feira, 22. A pauta foram questões relacionadas ao transporte público, como aumento das passagens, rota escolar e ainda, a questão dos auxiliares de bordo, os cobradores. O encontro foi uma solicitação do vereador Guilherme Nasser (PSDB), acatada pelo presidente da Casa, Djalma Bastos (PSD). 

Participaram do encontro, além dos vereadores citados, os edis Belmar Diniz (PT), Sinval Dias (PSDB), Cláudio Cebolinha (PTB), Fábio da Prohetel (PP), Gentil Bicalho (PT), Thiago Titó (PDT), Tonhão (PPS), Toninho Eletricista (PHS), Leles Pontes (PRB) e Lelê do Fraga (PTB). Os vereadores Pastor Carlinhos (PMDB) e Revetrie da Saúde (PMDB), justificaram ausência e foram representados por suas assessoras. Vanderlei Miranda (PR) também justificou ausência. 

Djalma justificou o encontro, afirmando que a oportunidade era de esclarecer aos vereadores e consequentemente à população, as principais dúvidas sobre os serviços prestados pela Enscon. Belmar Diniz, Sinval Dias e Cláudio Cebolinha reafirmaram as palavras do presidente. Já Fábio da Prohetel foi o primeiro a fazer questionamento, em especial sobre reclamações dos motoristas. “A informação que tenho é que quando o ônibus é assaltado, o motorista é  que tem que arcar com o ônus, sendo descontado o valor de seu salário. É triste ver que um trabalhador perde dinheiro por algo que não tem culpa”, declarou. Especificamente sobre esta questão, Eduardo esclareceu que só é descontado quando o motorista não apresenta o boletim de ocorrência. “Inclusive este assunto é de comum acordo com o sindicato da classe”, esclareceu Eduardo. 

Gentil Bicalho também fez uso da palavra e elogiou a postura da empresa que presta serviço há muitos anos no município. “No entanto, há reclamações sobre a falta de cobradores, pois o motorista tem que devolver troco, contar dinheiro, o que atrasa a viagem e os horários dos ônibus”, disse.  Já Toninho Eletricista solicitou da Prefeitura maior atenção sobre os pontos de ônibus. “Estão muito precários. E é preciso ainda que a Enscon reavalie a acessibilidade dos veículos”, enfatizou. 

Rota Escolar

Três vereadores fizeram questionamentos específicos sobre o rota escolar. Thiago Titó questionou sobre os que atendiam aos alunos da Escola Estadual Santana, fechada recentemente. Lelê solicitou reforço ao rota que atende a região do bairro Promorar. Já Tonhão enfatizou a falta de segurança dos alunos. Conforme apontado por ele, estudantes estão sendo transportados em cima do painel, próximo ao para-brisa. “Tem que ter uma solução. Com esforço é possível fazer um trabalho correto. As crianças estão sendo transportadas em pé. Isto não pode acontecer”, enfatizou. Tonhão também se posicionou contrário ao fato de não haver mais cobradores nos ônibus e ainda denunciou que há motoristas que iniciam o processo de viagem por meio eletrônico, mas que não realizam a mesma da forma como deveria ser feito. 

Sobre o rota, a empresa justificou que o serviço iniciado no primeiro dia letivo de 2017 é repetição do que vinha sendo feito em 2016. “Somente após o início das aulas é que temos como detectar as falhas, onde aumentou a demanda, onde reduziu. Não há como prever antes”, disse Eduardo. Como exemplo, Maciel citou que a demanda dos bairros Santa Cruz, Pacas, Boa Vista, Santa Bárbara, Jacuí e Egito aumentaram com fechamento de escolas. “Aumentamos os veículos nestas regiões. Quase 50% dos rotas escolares já foram adequados à nova realidade”, afirmou Maciel. Sobre a denúncia do vereador Tonhão sobre motoristas, a empresa enfatizou que vai apurar as questões levantadas. 

Planilha e aumento da passagem

Sobre a planilha de custos, Eduardo destacou que é uma planilha de amplo acesso da população e que é discutida todo mês, junto ao Conselho Municipal de Transportes. “Atende amplamente ao município. E não são todos os custos da empresa que são contemplados na planilha. Medicina do trabalho, bilheteria eletrônica, GPS, aparatos tecnológicos para a prestação do serviço, são exemplos disso”, enfatizou. 

Outro dado apresentado pela empresa é que o custo dos cobradores foi retirado da planilha. “O movimento começou no governo do ex-prefeito Gustavo Prandini. Hoje, se tivéssemos os cobradores, a passagem subiria para R$4,08. E os profissionais que faziam este serviço foram aproveitados pela empresa em outras funções”, justificou Eduardo. 

Settran também se pronuncia

Breno Lima também se pronunciou. Ele disse que o Settran está aberto a críticas, desde que sejam construtivas e fundamentadas. “Todos os vereadores têm fácil acesso a mim e ao setor. Temos servidores de mais de 30 anos de casa e que ficam extremamente chateados quando esta ação não é respeitada”, disse. Breno ainda explicou que trabalha com três ficais de trânsito, que são chefiados por outro servidor. “Toda a demanda da cidade, 50 ônibus, 78 táxis, 110 mototáxis, 17 vans é responsabilidade deles. É preciso entender esta situação. E afirmo que trabalham e muito, já que fazem, os dias, um relatório que tem que ser apresentado a mim, a partir da escala de trabalho que passo”, declarou. 

Sobre o rotativo, Breno assumiu que há falhas no serviço, como número insuficiente de monitores, falta de publicidade dos pontos de venda e falta de informação para a população. O chefe do Settran afirmou que trabalha para melhorar esta questão, juntamente com a empresa responsável pelo serviço. “Reforço mais uma vez minha disposição ao diálogo e às críticas construtivas. Estou à disposição dos senhores vereadores e de toda a população”, disse.   

Comissão vai continuar as discussões

Ao final da reunião Djalma Bastos solicitou que a Comissão de Administração Pública, Infraestrutura e Serviços, que tem como presidente Sinval Dia se como membros os vereadores Tonhão e Cláudio Cebolinha, continue as discussões junto à Enscon e ao Settran sempre que necessário. Djalma Bastos ainda disse que vai avaliar o pedido da Enscon, para que seja instalado na Câmara Municipal um ponto de atendimento da empresa, de mais fácil acesso ao cidadão. “É preciso avaliar a estrutura da casa, já que absorvemos o Procon, o Posto de Identificação e uma sala de atendimento para a Superintendência de Ensino. Mas vamos analisar com toda atenção e pensando no cidadão”, explicou.  Guilherme Nasser, que foi quem solicitou a reunião, avaliou como positivo o encontro. “O diálogo foi produtivo, dúvidas foram esclarecidas e muitas questões apontadas. Agradeço aos vereadores presentes e ainda aos convidados, que prontamente atenderam ao pedido”, disse. 


error while rendering plone.comments